Artistas, gravadoras e plataformas de streaming se unem em apoio às manifestações antirracistas que cobram justiça pelo assassinato de George Floyd e fim da violência policial nos Estados Unidos. 

Em gesto de apoio a manifestações antirracistas que cobram justiça pela morte de George Floyd — homem negro que foi sufocado até a morte por um policial branco — hoje a indústria da música e do entretenimento amanhece unida em protesto. O ocorrido em Minneapolis foi o estopim para pessoas do mundo todo protestarem contra a violência policial, intolerância e racismo escancarado.

A campanha surgiu recentemente, com a hashtag #TheShowMustBePaused (o show deve ser pausado) iniciativa criada por duas executivas negras da indústria da música: Jamila Thomas e Brianna Agyemang, da Atlantic Records pelo site https://www.theshowmustbepaused.com/.

Elas criaram também uma lista nomeada de "Recursos antirracismo", contendo artigos, vídeos podcasts, livros e filmes e séries para se aprofundar no trabalho antirracismo que você pode acessar aqui.



Com o surgimento da campanha, grandes nomes da músicas como Beyonce, Rihanna e Radiohead, além de empresas como a Capitol Music Group e Warner Music, que inclui selos como a Atlantic Records também estão participando e apoiando o Black Tuesday, anunciando uma pausa e dando suporte a comunidade. (via Rolling Stone)

 "Em solidariedade aos nossos colegas, artistas e pessoas amadas negras ao redor do país que estão abaladas com a irracional perda de mais uma vida negra inocente, o Capitol Music Group não vai conduzir nenhum negócio na terça-feira, 2 de junho, em observância ao Black Out Tuesday", escreveu a Capitol.

 "O negócio da música na WMG não vai seguir como normalmente. Embora seja apenas um dia, nós estamos comprometidos em seguir na luta por mudanças reais. Vamos usar esse dia para refletir coletivamente no que podemos fazer enquanto uma empresa para promover ações por mudança e vamos agir nas próximas semanas e meses", escreveu a Warner Records se referindo ao Warner Music Group.







A post shared by Capitol Records (@capitolrecords) on


A Sony Music também se pronunciou em apoio, já a IGA da Universal afirmou que não terá lançamentos durante essa semana e que está comprometida a fazer uma ação de longo prazo na luta pela justiça racial.


O Spotify ficará 8 minutos e 43 segundos em silêncio em referência ao tempo em que George Floyd permaneceu asfixiado pelo policial em Minneapolis. (via The Verge)

O Retrama se solidariza e apoia movimentos antirracistas, que buscam justiça e igualdade social, não aceitamos intolerância.


Publicidade